12 outubro 2016

50 tons da minha infância

Motivo nº:n+98

UM EXERCÍCIO ÓTIMO SOBRE RELEMBRAR ESSA ÉPOCA MARAVILINDA.

O dia das crianças. Quem diria que o tempo passaria tão rápido e eu estaria aqui com vinte anos falando da minha infância. É estranho porque parece que faz tanto tempo e eu não percebi quando isso de "parecer que faz tanto tempo" se deu. Porque depois que saímos da infância tudo parece que foi ontem. Nos sentimos grandes muito rapidamente durante a adolescência, quando na verdade ainda somos crianças, de um modo diferente, mas somos. Me arrisco a dizer que ainda com vinte anos mantenho meu espírito infantil vivo, com menos intensidade, porém ainda está aqui dentro. 
Bem, este será um post meio longo, pois trago aqui 50 fatos sobre minha infância (vai ser da hora escrever isso hahaha).
Comecemos.
Trenzinho cazamiga. Se liga nessa Lala u.u
1. Demorei a começar a falar. Minha mãe disse que ficou preocupada porque achou que eu nunca falaria. Quando eu queria alguma coisa, tipo água, apontava. Não falava nada. Só foi acontecer uma vez quando eu estava brincando com uma vizinha. Daí eu falei não sei o que lá e ela veio correndo avisar minha mãe e foi aquela festa. Desde então, não parei mais hahahaha
2. Por falar em falar (hahaha), eu nem sempre fui essa tagarela que sou agora. Eu era uma criança muito tímida até entrar na escola. Quando estava no pré, morria de medo de tomar bronca por conversar. Porém, há um porém. Em minha vida toda escolar eu morria de medo de tomar bronca, mas às vezes escapulia. Sempre fui muito falante (contida pelo medo da bronca) e sapeca.
3. Aprendi a ler e escrever com 4 anos de idade, com a melhor professora que alguém poderia ter: minha mãe.
4. O livro com o qual aprendi a ler foi Chapeuzinho Vermelho.
5. Eu era muito chorona na escola. Tipo, não do jeito manhosa, mas do jeito que as pessoas aprontavam comigo e eu não sabia reclamar, só chorar. Ah, e eu chorava também porque tinha medo que minha família morresse. Lembro que chorava todos os dias. Ah, também chorava ouvindo uma música da Xuxa a qual não me lembro agora qual era, mas dava muita vontade de chorar.
6. Saindo da parte deprê, meu gosto por música existe desde que me entendo por gente, mas já variou muito de gênero. Pequena eu ouvia música eletrônica dos anos oitenta (diretamente das fitas cassetes gravadas pelo meu pai no alto dos 13 anos dele), ouvia pop nacional (tipo Kelly Key), ouvia muito hip hop americano (gosto que arrastei até meus 15 anos).
7. Era muito curiosa e tinha uma imaginação muito fértil. Olhava os jardins e já imaginava uma vida de fadas e insetos ali.
8. Fisicamente, no quesito roupas, eu parecia um moleque. Tipo, não sei explicar. Nunca fui aquela menininha cheia de frufrus. Usava bermudas e tênis. Eu não dispensava as Barbies e tal, mas tinha fascínio por brinquedos de meninos, tipo carrinhos, lembro dum brinquedo, Hot Weels e o parque dos tubarões, achava o máximo. Não chegava a ganhar esses brinquedos, no máximo um carrinho ou outro. Mas enfim.
9. Por falar em  Barbie, um dos meus sonhos não realizados foi ter um Ken. Nunca tive. Decepções amorosas desde pequena hahaha. Em compensação, a casa da Barbie eu tive. Muito amor.
10. Por falar em decepção amorosa, Doug daquele desenho Doug, sabe?, então, Doug foi meu primeiro namorado.
11. Eu nunca tive uma melhor amiga de infância que fosse de fora da minha casa, tipo da escola ou da rua. Eu sempre tive coleguinhas, brincava e tal. Mas nunca uma amiga daquelas de filme "fazemos tudo juntas, damos festa do pijama, etc e tal".
12. Eu tive uma infinidade de gatos que "sumiam" por causa da minha alergia. E uma infinidade de cachorros que morriam. Até que pegamos a She-ra quando eu tinha 9 anos e ela sobreviveu até esse ano, um pouco antes de eu ir pra Sanca. Saudades She-ra.

13. Sobre profissões, eu era facilmente influenciada por aquilo que eu fazia ou aprendia na escola. No começo eu queria ser escritora porque adorava escrever historinhas. Montava livrinhos etc e tal. Depois, acho que na segunda ou terceira série, eu queria ser bióloga porque a matéria de ciências era muito legal. Ao mesmo tempo eu queria ser professora, ficava inventando exercícios, montava salas de aula com bonecas. Enfim. Como podemos ver, nada disso perdurou.
14. Uma das minhas paixões era inventar casinhas para meus brinquedos. Devo aqui explicar que além de bonecas, nós tínhamos montadores de legos, um bichinhos pequenos que não sei explicar (tipo aqueles de borracha que fazem barulho quando aperta e uns menores da fisher price que vinham com uma molinha - vou procurar aqui no Google pra ver se encontro algo parecido), e uns menores ainda numa caixa cheia (tipo aqueles que vinham no Kinder Ovo). Então a partir disso, construir casinhas era uma das minhas brincadeiras preferidas. Achei:
Fofuchos, não?
15. Filmes que marcaram minha infância: Matilda, Joe e as baratas e Da magia à sedução (com ela, minha ídola Sandra Bullock).
16. Sempre dei trabalho pra minha mãe em relação ao meu cabelo. Naturalmente ele é enrolado e eu simplesmente odiava isso, queria que ficasse do meu jeito. Quanto maior minha falta de aceitação pior ficava. Então dei realmente muito trabalho. Tanto que tinha umas manias ridículas. Tinha uma franja ridícula. Vergonha eterna.
17. Eu acordava muito tarde.
18. Tive distúrbio urinário (mais conhecido como fazia xixi na cama) até meus seis anos de idade.
19. Comi tanto chocolate uma Páscoa que meu rosto empipocou de alergia. Sorte que nessa época eu ainda não ia a escola. Mas lembro que não gostava nem de sair na rua por causa das feridinhas.
20. Enfiei meu pé embaixo da geladeira com 4 anos, eu acho, e fez um rasgão. Tenho a cicatriz até hoje.
21. Eu tinha uma verruguinha no cotovelo direito. Não sei como, mas ela sumiu.
22. Rancava altos tampões do dedão correndo no quintal.
23. Ah, por falar em machucados já caí dentro de um bueiro, bem ao acaso. Não lembro o que eu arrumei e de repente eu tava lá com metade do corpo pra fora. Também ralava meus joelhos na escola, duas vezes correndo, uma simplesmente andando. Como explicar o inexplicável?
24. Eu roía minhas unhas da mão bem no toco.
25. Como não tinha nenhuma das duas coisas em casa, ficava maravilhada com qualquer oportunidade de mexer no computador ou andar de carro.
26. Por falar em coisas que eu não tinha, amava quando podia ir na casa da minha vizinha (aquela que ouviu minhas primeiras palavras) pra jogar video-game. Fui ter um aos nove, dez anos de idade, quando meu pai ganhou num sorteio do serviço dele. Não me lembro qual era porque não sacava dessas coisas.
27. Brinquedos que tive mas mal usei: patinete e patins.
28. Gente, lembrei duma coisa, o melhor do momento na escola era ter mochila de carrinho. Tive duas: uma na primeira série, mas como meu pai comprou sem eu por perto pra testar o tamanho, acabou que a alça de puxar era pequena demais para mim, logo usei pouco a mochila. Da outra vez no primeiro uso, a mochila perdeu uma das rodinhas. Então né.
29. Meu primeiro celular ganhei com 10 anos. Era um Nokia 1110.
30. Outra coisa que eu adorava quando era criança, era ir pras escolas que minha mãe trabalhava e conhecer os alunos dela.
31. Fazer festinha no aniversário das minhas professoras era legal também, além dos amigos ocultos que tinha no fim do ano.
32. Gostava mais das Malhações da minha infância do que as de agora.
33. Lembro que as primeiras novelas que assisti foi O Cravo e a Rosa e Laços de Família.
34. Gostava de fazer pulseirinha de miçanga.
35. Teve uma época que surgiram umas capivaras na lagoa que tinha perto do bairro onde eu morava. Achava aquilo super divertido.
36. Dava pra comprar um monte de coisa nas lojas do 1 Real.
37. Adorava fazer maquetes.
38.  Não gostava de faltar à aula.
39. Ah, eu e minha irmã uma vez criamos um grupo que chamava "Meninas Demais". Lembro das músicas até hoje.
40. Meu maior medo era perder minha família.
41. Meus doces preferidos eram paçoca; pirulito "Tapa na Cara" aqueles, tipo do Kiko do Chaves; guardachuvinha de chocolate; YoYo Cream e chiclete cabeça de abóbora.
42. Ah, eu batia figurinha com santinhos de eleição.
43. Tinha coleção de cartões telefônicos e figurinha que vinha em bala e chiclete. A de cartões tenho até hoje.
44. Achava que quando eu menstruasse não poderia assistir mais desenhos animados, então morria de medo de que isso acontecesse logo.
45. Quando era bem pequena tinha medo das caixas de som do rádio começarem a andar e falar sozinhas (tinha pesadelos com isso).
46. Nossa, eu era muito enjoada pra comer. Não comia nada, nem com Biotônico. Odiava feijão. Hoje, odeio quando não tem feijão no RU.
47. Eu tinha umas manias que nossa. Teve uma época que eu só usava tênis com meia grossa e apertava bem os cadarços. Por que? Boa pergunta.
48. Sobre desenhos, assistia tudo o que passava na Cultura, alguns do Bom Dia e Cia e só Espiãs Demais da Globo.
49. Ah, não assistia Rebelde.
50. Fui da criança fofa à criança esquisita, da tímida à bagunceira. Nunca me encaixei em definições.
Enumerar tudo isso, aqui e agora foi ótimo. Depois que o tempo passa, a gente esquece algumas coisas.
Gostaria de dizer que acima de tudo sou muito grata pela infância que tive, com seus altos e baixos, o esforço dos meus pais em criar bem suas filhas, tudo isso só contribuiu para o que sou agora. E tenho certeza de que sou o suficiente.
:)

6 comentários:

  1. Amei saber dos 50 tons da sua infância, adorei a ideia e acho que vou responder no meu blog também. hehe
    Adorei saber que você aprendeu a escrever com sua mãe, que fofinho. *--*
    Eu também era louca por hip hop, até hoje eu gosto, principalmente Akon, 50 Cent, Ne-Yo. Eu até hoje detesto faltar de aula (hoje eu pago para ter aula, então não falto de jeito nenhum, dinheiro não é capim né? haha).
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Akon, 50 Cent, Ne-Yo... <3 <3
      Concordo com vc, dinheiro não é capim e toda oportunidade que temos quando o assunto é educação hoje em dia não podemos desperdiçar!
      Abraçz

      Excluir
  2. A ideia foi boa. Nota-se que vc teve uma infância comum a muitas de nós brasileiras. A história dos gatos... ninguém merece rsrsrrs

    ResponderExcluir
  3. Eu também aprendi a ler e a escrever com 4 anos de idade, e tbm já tive a 'fase' Kelly Key kkkkkkkk... Me identifiquei com várias coisas s2
    Beijinhos caramelizados
    www.encontrodmeninas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kelly Key era a sensação do momento hahahaha
      Grata pela visita!
      Abraçz

      Excluir

Sua interação é sempre bem-vinda!!
Deixe seu comentário acompanhado do link do seu blog que retribuo a visita!! E não esqueça de seguir também para acompanhar as atualizações!

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por